segunda-feira, 6 de junho de 2016

Confissão

Das vezes que matei o tempo
Que surrupiei lamentos
Ou fiz conchavos de versos
E formação de quadrilha
De quando calei nossa trilha
E das letras me apropriei
De quando escondi beleza
E quando fui à natureza
Reinventar sua lei
Só de um crime me arrependo
O beijo que não roubei