sábado, 28 de maio de 2016

Boca da Noite

Das lembranças e barulhos
Dos temores e da seca
São (rare)feitas as vielas
E a poeira desses cantos
Na beira do Rio do Sangue
Sob o luar do sertão
A boca da noite sopra
O vento do Aracati
Testemunhando o sereno
E acalentando o lugar
De quem sonha por teimosia
Para ser
            tão
                ven
                     tan
                          ia