domingo, 6 de novembro de 2011

Perecível

Sei, sou piegas
Escrevo poesias
Faço canções
Amo

Reclamo
Sofro, choro
Sorrio, levanto
Luto

Fico puto
Grito e sussurro
Pinto e repinto
Sinto

Sinto muito
Sou demodé

Sei, sou piegas
Ouso viver