quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Mais uma noite

Em frente aos olhos
Uma janela e o botão verde
Outra janela e o traço azul
Há muitas portas fechadas em meu peito
Com o silêncio dessas letras denunciando tudo
E a solidão gritando sem parar

Na fechadura da mente
A herança de um blog moribundo
Frases tortas perfurando o abismo
A lembrança triste daquele dia e do sofá
E o medo do medo do medo


Não há com quem conversar