sábado, 16 de abril de 2011

Ciranda do Povo


Sou nossa voz
Sou minhas vozes
Sou canto e sou giro
Rodopiando na praça
Nos fazendo massa
Desatando nós

As mãos
Umas sobre as outras
Apertadas, acolhedoras
Com seus calos e seus gritos
Estão cheias das mãos dos outros
Nos fazendo giro
Nos tornando nós

Ainda com fome, ainda com sede
Mas de mãos dadas
Com bolsos e estômagos vazios
Mas com mãos cheias de força
Rodeando sonhos nossos
Abraçando o horizonte.

Mãos que assobiam o ritmo da liberdade
Wescley P.