quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Reflexo

Não sou do que visto
Do que estou
Do que bebo e como

Não sou do que vivo
Do que vou
Do que levo e sumo

Sou do que esqueço
Do que tropeço
E não mereço

Sou do que fica
Quando me despeço
Do avesso