quarta-feira, 24 de abril de 2013

O CAUSO DE ZÉ FIRMINO


Hoje trago novamente mais um vídeo-exercício  das oficinas Projeto*. A história desse aí foi a seguinte: fizemos o enredo coletivamente em sala, os personagens, o desfecho, depois eu fiz o cordel e filmamos em duas tardes de maneira improvisada. O resultado foi esse aí, bem amador, de brincadeira mesmo, mas não menos divertido, hehehe:



--
O CAUSO DE ZÉ FIRMINO


Hoje venho lhe contar
O causo de Zé Firmino
Que era um jovem bom
Honesto desde menino
Mas meteu-se em confusão
E quase que esse refrão
Revira o seu destino

Zé era muito franzino
E sua vida era assim
Do trabalho ia pra aula
Morava no Bom Jardim
Lutava por seu futuro
Sem se meter em apuros
Pra conquistar o seu fim

Mas a vida é assim
É cheia de presepada 
E na vida desse Zé
Uma peça foi pregada
É que o pobre foi parar
Onde não devia está
No lugar e hora errada

Vejam só que emboscada
Escute e Participe
Pois  ao voltar do trabalho
Na Rua Oscar Araripe
Andava tranquilamente
Simpático como sempre
Cumprimentou João Filipe 

Felipe ansioso disse 
“Estava te procurando
Preciso de sua ajuda
Continue caminhado
Mas escute com atenção
O que pedirei então
Pois vou logo lhe explicando”

Meu parceiro João Felipe 
Disse o Zé educado
Por que tá com essa cara
Você está assustado?
E o que tem nessa sacola
Parece fraco da bola
Falando todo acuado”

O tal Felipe enjoado
Respondeu logo depressa
Ômi deixe desse lero
Ora que conversa é essa
Estou aqui na limpeza
A tarde tá uma beleza
Só estou meio com pressa

Continuou a conversa
O João Felipe malaca
Disse tenho uma visita
A uma prima que tá fraca
A bichinha adoentou
Por isso peço um favor 
Pra você que se destaca

É destaque e sempre emplaca
Quando o assunto é bondade
Por isso que eu repito
Que faça essa caridade
De cuidar dessa sacola
Enquanto eu dou o fora
E volto pressa cidade

Zé cheio de amizade
E também de emoção
Mandou o João Felipe
Acabar com o sermão
E ir cuidar de sua prima
Sem saber que essa rima
Causaria confusão

Caminhando sem noção
De onde ele se metia
Foi quando viu uma moça
Com o nome de Maria
Que gritou “minha sacola!”
Agora ninguém me enrola
“Esse ladrão já expia”  

O Zé já sem alegria 
Meteu o Pé na carreira
Com a policia e Maria
Atrás feito estribeira 
Zé se dizia inocente
Pois um cidadão não mente
Nem comete essa besteira

Sem ouvir a choradeira
O guarda corria atrás 
Queria prender o Zé
Não daria trégua mais
Até que o Zé cansou
E chorando se humilhou
Pedindo Acordo de paz

“A justiça julgarás”
Disse a autoridade
Foi quando chegou Maria
E percebeu a maldade
Que fizera com inocente
Que era um rapaz decente
E ia pra trás das grades

Foi na curiosidade
Que percebeu o bandido
Era o tal de João Felipe
Atrás do poste escondido
Aí Maria gritou 
O guarda se apavorou
E correu aborrecido

Correram aborrecidos
O Guarda, Maria e Zé
Pra pegar o João Felipe
Mais o ladrão deu no pé
E ao perceber um muro
Resolver dá logo um pulo
Se safar num cangapé

Ao cair quase de pé
 Surpresa e decepção
Tinha dois policiais
Esperando o ladrão
Percebeu que aquele muro
O deixava em apuros
Era o muro da prisão

A sua desatenção
Deixou a situação feia
Não percebeu que sua fuga
Acabava na cadeia
Agora tava de vez
Morando lá no Xadrez
Com medo do mói de pêia

E o Zé esbadeia
Com a nova companhia
Nosso herói se deu de bem
 Namorando com Maria
Conseguiu felicidade
Com a sua honestidade
Só vive na alegria

Acaba com honraria 
O causo de Zé Firmino
Mas é só mais uma historia
Pra lembrar do desatino
De quem vai pro lado errado
E acaba esfolado
Pelo seu próprio destino

Livre estava Zé Firmino
João Felipe atrás das grades
É assim que terminou
Essa historia de verdade
Pra mostrar pra esse povo
Que quem se ferra de novo 
É quem age com maldade

Por isso que honestidade
Nunca fez mal a ninguém
O Zé lutou pela paz
E nunca enganou também
Sabendo que o bom caminho
Apesar de seus espinhos 
É o caminho do bem. 

Wescley Pinheiro

--
* Vídeo realizado como exercício na Oficina de Audiovisual do Projeto Protejo - Núcleo Bom Jardim - Fortaleza-CE Ano 2010 com jovens de 15 a 24 anos daquele bairro. A oficina foi de 8 dias, constava com um panorama dos conceitos básicos do audiovisual, introdução a linguagem, iniciação prática com novas mídias e análise fílmica. A qualidade do vídeo original era muito melhor, mas uma tragédia com o meu computador fez com que eu perdesse os arquivos. Direção e texto foi minha: Wescley Pinheiro. O roteiro e atuação de toda a turma.
O PROTEJO foi um Projeto dentro do PRONASCI do Ministério da Justiça com parceria da Guarda Municipal de Fortaleza, executado junto com o Núcleo de Pesquisas Sociais da UECE do qual fui bolsista.