quarta-feira, 18 de abril de 2012

Quarta-feira

Restam cinzas e lembranças
Desses dias que vivi

Pro pecado fui afoite
Fui lua daquela noite
Fui pesadelo e açoite
Que sofri e que sorri 

Fantasiei-me de espelho
Fui saudade da minha rua
Fui a minha carne crua
Pronta pra queimar ao sol

Fui um peixe no anzol
E isca da alegria
E dose de nostalgia 
Jogador de Futebol

Fui palhaço e feiticeiro
Fui um gole de cerveja
Fui um bolo de cereja
Que sozinho engoli 

Restam cinzas e lembranças
Desses dias que vivi

Fui a cozinha do medo
Fui o tempero da vida
Adocei minha ferida
Na panela do segredo

Para os sonhos fiz a massa
Com as mãos do sentimento
Das dores fiz o fermento
Da força fiz minha graça

Esquentei-me com o abraço
E servir-me de ilusões
Fiz piada de sermões
E jantei o meu compasso

Fui a canção que ouvi
Fui teatro abandonado
Fui verso despedaçado
No poema que escrevi

Restou cinzas e lembranças
Desses dias que vivi

Wescley