quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Alvo

A culatra é a porteira
Da arma da minha vida
Satisfeita e generosa
A culatra é atrevida
A cada verso que atiro
Sai por ela e onde miro
É poesia vencida