sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Seca


Um pingo cai
Escorre
Molha timidamente
Mas a terra rachada não o reconhece
O mato moribundo não o reconhece
O ar abafado o despreza

Não há mormaço
Nem nuvens no céu
A água é salgada, pouca
E desce de um olho
Aguando a dor e o desespero
De ser tão
Sertão